APL da Saúde

O APL da Saúde engloba empresas dos segmentos de equipamentos médico-hospitalares e odontológicos; saúde animal; fármacos e biotecnologia; e cosméticos. São aproximadamente 200 empresas na região administrativa de Ribeirão Preto, que empregam mais de 5 mil pessoas. Há desde micro até grandes empresas, reconhecidas como as maiores exportadoras brasileiras de produtos odontológicos. Na região é possível encontrar de móveis hospitalares a equipamentos de ultrassom, de berços neonatais a softwares de regulação médica, de dermocosméticos a produtos de nutrição animal, de soluções parenterais a perfumaria.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Arranjo Produtivo Local (APL) é a denominação que se dá a um conglomerado de empresas de um determinado setor econômico em uma dada região, quando há cooperação entre as empresas e uma participação de entidades públicas e privadas articulando estratégias para o setor. O APL da Saúde de Ribeirão e Região têm na Associação de Empresas sua entidade representativa, contando ainda com Fipase, Ciesp e Sebrae na sua governança. O reconhecimento de um APL por parte dos governos é condição para que políticas públicas de desenvolvimento sejam implantadas. Por isso é tão importante que as empresas se associem e participem das ações do APL da Saúde.

 

O histórico do APL remete à criação do Consórcio de Exportação BHP, na primeira metade da década de 2000. Essas e outras ações mostraram a importância de ações coletivas para a competitividade das empresas. A consolidação do APL ao longo dos anos foi fundamental para que a Fipase recebesse apoio para a criação do Supera Centro de Tecnologia (chamado à época de Cedina). A partir de 2013, o APL EMHO, que incluía apenas indústrias de equipamentos médico-hospitalares e odontológicos, transformou-se em APL da Saúde, passando a incluir outros segmentos de negócios, também relevantes na região e com demandas complementares. Em 2014, foi formalizada a Associação de Empresas do APL da Saúde, fortalecendo a participação dos empresários na governança do setor.